3 de maio de 2021

Finalistas da 6ª Edição do Prémio José Manuel Alves


 
Já são conhecidos os finalistas da sexta edição do Prémio José Manuel Alves, concurso de empreendedorismo turístico do Turismo Centro de Portugal. 

O Júri Intermédio - composto por Miguel Mendes, Homero Cardoso, Sílvia Silva e Gonçalo Gomes - selecionou os seguintes oito projetos para a fase final:


GUIA - Guia de Utilização Interativa Aplicado ao Turístico do Estrela Geopark
Associação Geopark Estrela

Escape Out - Escape Room Outdoor
Helder José da Silva Duarte 

Zoomguide
Afonso Cunha / Pedro Carvalho

Bike Race Trip Portugal
Marta Angélica Bedê

Flainar
Carlos Manuel Moita de Figueiredo

Contigo, Há Descoberta
Maria José Dinis Da Fonseca

Abandon'Art 
Beatriz Pestana, Vanessa Costa, Vera Lourenço

MyECOGIRO - Plataforma Eletrónica de Turismo Sustentável
Sílvia Cláudio / Patrícia Mueller / Rita Machado


O Júri Final, cujos membros serão apresentados em breve, irá decidir quais os projetos premiados (os três primeiros) até ao final de Maio. 

O Prémio José Manuel Alves, organizado anualmente pelo Turismo Centro de Portugal, destina-se à deteção e apoio a projetos inovadores no setor do Turismo com implementação na Região Centro de Portugal, através do qual se pretende consagrar a melhor ideia de negócio no setor.

A designação homenageia o ex-presidente da Região de Turismo do Centro, que esteve na génese da criação do gabinete de apoio ao investimento turístico, na região Centro de Portugal.

Mais informações sobre os Concursos TCP, aqui.  


30 de abril de 2021

Finalistas (Doutoramento) da 5ª Edição do Concurso de Teses Académicas TCP


Já são conhecidas as teses finalistas na categoria de Doutoramento da quinta edição do Concurso de Teses Académicas do Turismo Centro de Portugal.

O Júri Intermédio - composto por Jorge Umbelino, Catarina Nadais, Ana Rajado e Adriana Rodrigues -  selecionou as seguintes cinco teses para a fase final:

"O fenómeno backpacker e os seus padrões de movimento espaciotemporal no destino urbano do Porto", de Márcio Domingos Alves Ribeiro Martins.

"Relações de hospitalidade e hostilidade dos stakeholders do poder público no setor de Viagens e Turismo", de Aristides Faria Lopes dos Santos.

"Sistemas de gestão de destinos turísticos: contribuições para a sua adoção e implementação", de João Pedro Vaz Pinheiro Estêvão.

"Avaliação das rotas turísticas em Portugal continental", de Carlos Manuel Cardoso Vilela da Mota.

"Envolvimento público na proposta de criação de um geoparque: o caso da Figueira da Foz", de Estefânia Gomes da Cruz Lopes.

O Júri Final, cujos membros serão apresentados em breve, irá decidir a tese vencedora até ao final de Maio. 

O Concurso de Teses de Mestrado e de Doutoramento, organizado anualmente pelo Turismo Centro de Portugal, tem como objetivo valorizar o conhecimento gerado no seio da comunidade científica sobre a atividade turística e de o aproximar das empresas do setor do Turismo e de todos os interessados em desenvolver projetos de empreendedorismo turístico.


Mais informações sobre os Concursos TCP, aqui

Finalistas (Mestrado) da 5ª Edição do Concurso de Teses Académicas TCP




Já são conhecidas as teses finalistas na categoria de mestrado da quinta edição do Concurso de Teses Académicas do Turismo Centro de Portugal.

O Júri Intermédio - composto por Jorge Umbelino, Catarina Nadais, Ana Rajado e Adriana Rodrigues - decidiu, como critério de desempate nesta categoria, selecionar seis teses finalistas.

"Turismo Consciente: A sua dimensão nas Aldeias Históricas de Portugal", de Isabel Janeiro Marques Cerqueira.

"Rotas Turísticas como estratégia de desenvolvimento territorial - A Rota do Mosaico Romano", de Vanessa Carapinha Costa.

"As perceções e atitudes dos residentes face aos eventos de recriação histórica: O caso da Viagem Medieval em Terra de Santa Maria", de Maria Inês Figueiredo de Carvalho.

Fatores Críticos de Sucesso em estabelecimentos hoteleiros: o caso das Pestana Pousadas de Portugal, de Ana Filipa Araújo Martins Maia.

"Are the Portuguese ready for the future of tourism? A Technology Acceptance Model application for the use of robots in tourism", de Mariana Santos Martins

"Os produtos DOP, IGP e Tradicionais e a gastronomia típica da Região da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela: proposta de carta gastronómica", de Cristina Manuela Silva Rodrigues

O Júri Final, cujos membros serão apresentados em breve, irá decidir a tese vencedora até ao final de Maio. 

O Concurso de Teses de Mestrado e de Doutoramento, organizado anualmente pelo Turismo Centro de Portugal, tem como objetivo valorizar o conhecimento gerado no seio da comunidade científica sobre a atividade turística e de o aproximar das empresas do setor do Turismo e de todos os interessados em desenvolver projetos de empreendedorismo turístico.

Mais informações sobre os Concursos TCP, aqui



Final da 6ª edição do Discoveries: Conheça os vencedores



Decorreu ontem a Grande Final da sexta edição do Discoveries, onde 20 projetos turísticos de todo o mundo tiveram três minutos para apresentar as suas ideias de negócio e traçar o seu destino na competição, num emocionante Final Pitch.

Os três vencedores foram nøytrall (Portugal), Nomad District (México) e The Data Appeal Company (Itália).



“NØYTRALL” é um sistema que permite o acompanhamento do consumo dos hóspedes, que possibilita a separação desse consumo do preço base do hotel, “criando um modelo de tarifas sustentáveis, transparentes e justas, tanto para os hotéis como para os hóspedes”.

A “Nomad District” é uma plataforma que promove o estilo de vida dos nómadas digitais e a “The Data Appeal Company” é uma plataforma que possibilita a “combinação de dados geoespaciais, informações de negócios e ter noção da perceção dos clientes para qualquer ponto de interesse, negócio, marca ou destino”.





Os vencedores foram anunciados por Miguel Barbosa (Portugal Ventures), Roberto Antunes (NEST Portugal) e Ana Caldeira (Turismo de Portugal).

Para além dos três projetos referidos, participaram mais 17:

Árvores, Birdie, Sea EO Tours, e Ecocubo (todos de Portugal), Tasting IN e DoTravel (Espanha), Trippers (Monaco), Tryvium (Itália), Edgar (França), Ttakeoff Software Services India (India), WeavAir (Canada), Cityguyd (EUA), Geotourist, OnlyVoucher.com e Pillow Partners (Reino Unido), iFriend (Brasil) e Nocto (Holanda).




António Lucena de Faria, Ceo da Fabrica de Startups (entidade organizadora do Discoveries, com o apoio do Turismo de Portugal) dirigiu-se a todos esses empreendedores e apelidou-os de "heróis".

“São pessoas como vocês que fazem o mundo um lugar melhor, pessoas que acreditam nos seus sonhos e fazem tudo ao seu alcance para torná-los realidade”.

Falou um pouco sobre a viagem empreendedora, que requer “persistência, esforço, sacrifício, tempo e inúmeras outras coisas” e deu os parabéns aos 20 projetos. “Não posso garantir que todos serão, mas estou convicto que a maioria será bem-sucedida”.



Questionou-se ainda sobre o que mais poderia partilhar de interesse. “Três coisas”, afirmou, antes de revelar três livros que aconselhou todos a ler. “Tem muito a ver como o que vocês fizeram até aqui e ainda têm de fazer”. Nomeadamente: “Testing Business Ideias” (David Bland), “Dotcom Secrets” (Russell Brunson) e “The E-Myth” (Michael E. Gerber).


O Discoveries - Travel and Tourism Startup Accelerator, é um programa de aceleração, organizado pela Fabrica de Startups com o apoio do Turismo de Portugal, que tem como objetivo dinamizar o setor do Turismo em Portugal, apoiando startups nacionais e internacionais com potencial.

Ecocubo = (usufruto + natureza)³




Após quatro horas de caminhada, António Fernandes, um arquiteto portuense de 39 anos, finalmente avisou o cume da montanha suíça. Lá em cima, para além de uma paisagem magnífica, encontrou também um hut, uma cabana de apoio onde eram servidas pequenas refeições. Quando a viu, teve uma ideia. Anos depois, essa ideia iria torna-se um projeto de vida.

António estava naquele país desde 2011. Tinha acabado o curso de arquitetura no Porto, “em plena crise do sector”, e decidiu explorar outras áreas.
Surgiu a possibilidade de ir trabalhar para a Suíça durante um verão, na área da hotelaria num parque nacional, rodeado pelos Alpes.

“Era uma área diferente, mas que sempre me despertou muita curiosidade, especialmente sendo eu um amante da natureza”. Nas folgas, António deliciava-se a fazer trilhos nas montanhas e a “explorar a imensidão dos Alpes”. Talvez por isso, aquele verão prolongou-se. Durou quase três anos.

Durante todo esse tempo, António constatou sempre um “fluxo enorme” de turistas que faziam os trilhos. “No entanto, não havia uma continuidade, subiam à montanha e desciam de imediato, para o hotel”. E na sua própria descida, inspirado pelo que tinha acabado de presenciar, havia uma interrogação que o acompanhava: “Porque não se cria um equipamento que seja como uma tenda mas com o conforto de um hotel? Algo com pouco impacto para o ambiente e que permitisse essa continuidade exploratória da natureza?”.

A questão seguiu-o até Portugal. Em 2014, decidiu dar-lhe resposta e criou a Ecocubo. “Um conjunto de estruturas ecológicas, como se de um cubo mágico se tratasse, que possibilita às pessoas permanecer e progredir no território de forma sustentável, com pouco impacto para o meio ambiente”.


A ideia era possibilitar “experiências personalizadas de imersão na natureza”, promovendo, no processo, produtos endógenos, como a cortiça. “Para além de ser um excelente isolamento, é um produto 100% natural e Português”.
Simultaneamente, António pretendia que a Ecocubo funcionasse como um “catalisador de territórios de baixa densidade”, dando a conhecer outros destinos, “fora dos tradicionais”.

O empreendedor meteu mãos à obra. No ano seguinte, já tinha um protótipo na Exponor. E em 2016, via o seu projeto ser premiado naquela que viria a ser a primeira edição do Prémio José Manuel Alves, concurso de empreendedorismo turístico do Turismo Centro de Portugal.

“Foi um motivo de imenso orgulho! Apenas ser selecionado para a fase final já demonstrava mérito e reconhecimento. Ser premiado veio comprovar a convicção que tínhamos um produto interessante para apresentar ao mercado”.
 
Para além disso, António destaca a oportunidade que o concurso lhe deu para ter o primeiro contacto com o mundo do empreendedorismo. “Momentos de networking, contactos e sinergias com outras empresas, apresentar as nossas soluções a uma audiência especializada, conhecer entidades externas do turismo, toda a partilha e conhecimento que daí adveio foi como um segundo prémio”.

Desde então, a Ecocubo tem sofrido um processo de “crescimento, evolução e amadurecimento”. E já com essa bagagem, integrou a presente edição do Discoveries, programa de aceleração organizado pela Fabrica de Startups com o apoio do Turismo de Portugal, que tem como objetivo dinamizar o setor do Turismo em Portugal, apoiando startups nacionais e internacionais com potencial.



“Foi com grande satisfação e orgulho que recebemos a notícia que havíamos sido uma das 20 selecionadas para participar do programa, onde concorreram mais de 200 empresas de todo o mundo. Está a ser uma experiência excecional, bastante intensa, enriquecedora, que nos faz constantemente refletir na melhoria da nossa estratégia, do nosso serviço, de forma a agregar mais valor às experiências que proporcionamos”.

Amanhã, a Ecocubo vai fazer o seu pitch na Grande Final do Discoveries.
Há ambição no ar, há determinação e sobretudo, confiança no presente e no futuro. 
“Queremos proporcionar experiências de imersão na natureza e especialmente agora, num cenário pós-pandemia, a natureza vai ser cada vez mais procurada, pela sua capacidade de nos desligar do stress quotidiano, de nos possibilitar uma maior conexão connosco próprios e pelo seu imenso poder regenerativo”.

A designação do projeto não se deve apenas à forma cúbica das unidades de alojamento, mas também à missão que o empreendedor assume de “elevar à potência máxima” o usufruto do mundo natural.

“O objetivo é podermos criar uma comunidade de amantes da natureza que se reveem nos valores e partilham da visão da Ecocubo, de poder viver, sentir e explorar a natureza. Ao cubo!”


AddThis