17 de maio de 2017

23 maio | Coimbra | Financiamento da Atividade Turística


O Turismo de Portugal, com o apoio da ER Turismo Centro de Portugal, vai organizar uma sessão sobre o Financiamento da Atividade Turística, no próximo dia 23 de maio, a partir das 09:30, em Coimbra, no Auditório da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Centro, tendo como principal objetivo informar acerca dos programas, apoios e financiamento para as empresas do turismo.

Nesta sessão, que contará com a presença do Dr. Carlos Abade, administrador do Turismo de Portugal, serão abordados sistemas de incentivo como as linhas do Programa Valorizar, os novos apoios que a Portugal Ventures disponibiliza para o setor, incluindo no âmbito da Linha de Qualificação da Oferta, as linhas de crédito do Programa Capitalizar e os sistemas de incentivo do Portugal 2020 destinados a empresas.

As inscrições na sessão são gratuitas, mas devem ser formalizadas no formulário disponível no seguinte link:


16 de maio de 2017

17 maio | 17:30 | Coimbra Conferência Alojamento Local

A Raposo Subtil e Associados (RSA Advogados) vai organizar uma conferência dedicada ao Alojamento Local, no dia 17 de maio, com início às 17:30, que decorrerá no The Luggage Hostel & Suites (Rua Antero de Quental, n.º 125 Coimbra).

Neste evento, que conta com o apoio da Turismo Centro de Portugal, vão ser abordados temas como a realidade do alojamento local na região Centro de Portugal, o regime jurídico do alojamento local, os incentivos fiscais e os sistemas de incentivo, enquanto o alojamento na prática será descrito por dois investidores: Miguel Pinheiro e Raquel Aido, do The Luggage Hostel & Suites, onde terá lugar o encontro.

A entrada é livre, devendo a inscrição ser efectuada através do e-mail: geral@rsa-lp.com

15 de maio de 2017

18 maio | Vilar Formoso | Turismo da Natureza - Desafios e Oportunidades

A Associação de Desenvolvimento Regional – Territórios do Côa, com o apoio do Núcleo de Apoio ao Investimento do Turismo Centro de Portugal, vai organizar a sessão "Turismo da Natureza - Desafios e Oportunidades, que decorrerá no dia 18 de maio, a partir das 14 horas, no Pavilhão Multiusos de Vilar Formoso, uma actividade no âmbito da Carta Europeia de Turismo Sustentável Terras do Lince. 

Neste evento serão abordados temas diversificados como o Património Natural, a prática desportiva como motivação e os sistemas de incentivo em vigor para o turismo. No final, serão também promovidas sessões individualizadas de atendimento e esclarecimento sobre os sistemas de incentivo. Os interessados em participar na sessão (e/ou nas reuniões individuais) devem inscrever-se através dos seguintes contactos: 

cets.terrasdolince@gmail.com ou 914 506 242.

3 de maio de 2017

Sessões de divulgação AD ELO / CIM Região de Coimbra


A AD ELO - Associação de Desenvolvimento Local da Bairrada e Mondego em parceria com a Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra vai organizar um conjunto de sessões de divulgação dedicadas aos incentivos disponíveis no âmbito do Portugal 2020 (PDR2020, MAR2020, CENTRO2020), com especial relevância para a abertura de candidaturas ao "Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego - (SI2E)", que apoia iniciativas empresariais de investimento e criação de emprego.

As sessões ocorrerão nas seguintes datas:

Cantanhede: 3 de maio, 14.30 (Auditório da Biblioteca em Cantanhede)

Montemor-o-Velho: 4 de maio 10.30 (Salão Nobre do Município de Montemor-o-Velho)

Mealhada: 5 de maio 16.00 (Espaço Inovação Mealhada)

Figueira da Foz: 9 de maio 17.00 (Auditório da Incubadora da Figueira da Foz)

Penacova: 10 de maio 10.30 (Auditório das Piscinas de Penacova)

Mira - 11 de maio 14.30 (Incubadora de Mira)

As inscrições são livres, mas devem ser formalizadas através do e-mail da AD ELO (geral@adelo.pt).

24 de abril de 2017

Sessão "Incentivos para o sector do Turismo" 5 de maio

No próximo dia 5 de maio, pelas 14 horas, a Turismo Centro de Portugal promove uma Sessão de informação sobre "Incentivos para o Sector do Turismo" no CENTRO INVESTE, em Figueiró dos Vinhos.

Esta iniciativa tem um caráter intermunicipal e abrange também os Municípios de Castanheira de Pera e Pedrógão Grande, destinando-se aos empresários do setor do turismo (alojamento, restauração e outros), a potenciais empreendedores e investidores, técnicos da área do empreendedorismo e turismo, entre outros.

Nesta sessão, para além da divulgação do novo instrumento de apoio, o SI 2E - Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego, serão abordados outros apoios existentes bem como dada informação relevante referente à atividade turística, processos de licenciamento, registo de empreendimentos e atividades turística.


As inscrições podem ser feitas neste formulário: 

20 de abril de 2017

Medidas de Autoproteção em Coimbra e Castelo Branco

Para além das sessões já agendadas em Aveiro, Viseu e Leiria, a empresa Alves & Rasteiro Lda, em parceria com o Turismo do Centro de Portugal, vai organizar sessões de esclarecimento denominadas “Medidas de Autoproteção – O que são? Requisitos legais” em Coimbra e Castelo Branco.

Estas sessões visam esclarecer os responsáveis por empreendimentos e estabelecimentos destinados a alojamento turístico e restauração, sobre as medidas de autoproteção, cuja aplicação é obrigatória por lei.

26 de abril de 2017 | 11:00 | Coimbra, auditório Gonçalves Aranha, nas instalações do Comando da Brigada de Intervenção - Aquartelamento de Santana (Rua de Infantaria, n.º 23)


28 de abril de 2017 | 11:00 | Castelo Branco, auditório 2 do Edifício Principal da Escola Superior Agrária de Castelo Branco (Quinta da Senhora de Mércules).


A presença nas sessões é gratuita, devendo a confirmação de presença nas sessões ser formalizada através dos seguintes contactos, com a indicação de qual é a sessão a que pretende assistir:

Telemóvel: +351 934 374 411 / +351 969 329 373; 
E-mail Alves & Rasteiro, Lda: alvesrasteiro@gmail.com.
E-mail Turismo Centro de Portugal: goncalo.gomes@turismodocentro.pt

17 de abril de 2017

Crescimento de 9,37% em Fevereiro no Centro de Portugal

O INE disponibilizou os dados relativos à actividade turística no Centro de Portugal, no mês de Fevereiro de 2017, que confirmam a tendência de crescimento já verificada em Janeiro, registando-se, no mês de Fevereiro, um aumento de 9,37% nas dormidas (+ 22.235) em comparação com o mês de Fevereiro de 2016. Este aumento foi especialmente impulsionado pelas dormidas de turistas estrangeiros que cresceram 14,49%, mas, em valores absolutos, tiveram mais expressão nas dormidas de nacionais (aumento de 11.755 dormidas face ao período homólogo de 2016).




Na análise acumulada, referente aos meses de janeiro e fevereiro, continuam a verificar-se aumentos consideráveis nas principais variáveis estudadas pelo INE, com aumentos de 8,27 nas dormidas totais (com maior expressão no aumento de 19,10% nas dormidas de turistas estrangeiros) e de 11,82% nos proveitos.


14 de abril de 2017

Sessões Medidas de Autoproteção

A empresa Alves & Rasteiro Lda, em parceria com o Turismo do Centro de Portugal, está a desenvolver um conjunto de sessões de esclarecimento denominadas “Medidas de Autoproteção – O que são? Requisitos legais”, que visam esclarecer os responsáveis por empreendimentos e estabelecimentos destinados a alojamento turístico e restauração, sobre as medidas de autoproteção, cuja aplicação é obrigatória por lei.

20 de abril de 2017 | 11:00 | Aveiro, auditório da sede da Turismo do Centro de Portugal (Rua João Mendonça, n.º 8)

21 de abril de 2017 | 11:00 | Viseu, Welcome Center Viseu (Casa do Adro, Adro da Sé).

03 de maio de 2017 | 11:00 | Leiria, Delegação de Leiria da Turismo Centro de Portugal/Posto de Informação Turística (Jardim Luís de Camões)

A presença nas sessões é gratuita, devendo a confirmação de presença nas sessões ser formalizada através dos seguintes contactos, com a indicação de qual é a sessão a que pretende assistir:

Telemóvel: +351 934 374 411 / +351 969 329 373; 
E-mail Alves & Rasteiro, Lda: alvesrasteiro@gmail.com.
E-mail Turismo Centro de Portugal: goncalo.gomes@turismodocentro.pt

11 de abril de 2017

Avisos de concurso do Portugal 2020 abertos


Foram publicados diversos avisos de concurso integrados no domínio temático da Competitividade e Internacionalização do Portugal 2020, que estão disponíveis para as empresas:
- Aviso N.º 06/SI/2017 - Inovação Produtiva - Regime Contratual (Data de encerramento: 31-12-2017)

- AAC 07/SI/2017 Sistema de Incentivos à Inovação | Inovação Produtiva (Data de encerramento: 02-06-2017)

- AAC 08/SI/2017 Sistema de Incentivos à Inovação Produtiva | Projetos Localizados em Territórios de Baixa Densidade (Data de encerramento: 02-06-2017)

- Aviso N.º 09/SI/2017 - Sistema de Incentivos Empreendedorismo - Empreendedorismo Qualificado e Criativo (Data de encerramento: 10-07-2017)

- Aviso N.º 10/SI/2017 - Sistema de Incentivos Empreendedorismo - Empreendedorismo Qualificado e Criativo em Territórios de Baixa Densidade (Data de encerramento: 10-07-2017)

- Aviso N.º 11/SI/2017 - Sistema de Incentivos Internacionalização das PME – Internacionalização das PME (Data de encerramento: 30-06-2017)

- Aviso N.º 12/SI/2017 - Sistema de Incentivos Qualificação das PME – Qualificação das PME (Data de encerramento: 30-06-2017)

Pode consultar toda a informação no portal do Portugal 2020.

3 de abril de 2017

Novo serviço online para pedido de utilidade turística


A partir de hoje, os interessados podem efectuar os pedidos de Utilidade Turística recorrendo a uma aplicação electrónica disponibilizada no site do Turismo de Portugal, denominada SiGUT - Sistema de Gestão da Utilidade Turística.

A utilidade turística pode ser requerida a título prévio (após a aprovação do projeto) ou a título definitivo (até seis meses após a abertura do empreendimento), estando abrangidos os hotéis, hotéis-apartamentos, pousadas, hotéis rurais, aldeamentos turísticos, conjuntos turísticos, equipamentos de animação, culturais e desportivos, que não constituam ou integrem conjuntos turísticos, instalações termais, empreendimentos de turismo de habitação, empreendimentos de agroturismo (desde que considerados de qualidade excepcional pelo membro do Governo com a tutela do turismo), e estabelecimentos de restauração.

20 de março de 2017

Novo protocolo da Linha de Qualificação da Oferta 2017



No dia 17 de março, no âmbito da Bolsa de Turismo de Lisboa foi assinada a nova versão da Linha de Apoio à Qualificação da Oferta, entre o Turismo de Portugal, as instituições bancárias aderentes e a Portugal Ventures, que vigora até 31 de dezembro de 2018.

Através da Linha de Qualificação da Oferta 2017, continuará a ser privilegiado o investimento em projetos distintivos e inovadores, assim como na requalificação de empreendimentos turísticos, no sentido de os posicionar e afirmar em segmentos de maior valor acrescentado. O desenvolvimento de projetos de empreendedorismo na área da animação turística, bem como de projetos na área da restauração de interesse para o turismo, estão também entre os eixos de investimento contemplados.

As principais novidades desta linha são as seguintes:

- a criação do Fundo de Capital de Risco denominado FCR Turismo Crescimento (que está em fase final de criação), com o capital indicativo de 15 milhões de euros, gerido pela Portugal Ventures, através do qual se pretende, se considerado ajustado à operação e à empresa, disponibilizar um produto financeiro que complemente os financiamentos concedidos através da Linha de Apoio à Qualificação da Oferta e que assegure a cobertura do investimento total do projeto;

- a possibilidade de atribuição de um prémio de desempenho a projetos de investimento a implementar no interior do país, em que se prevê uma parcela de incentivo não reembolsável, desde que sejam atingidas as seguintes metas, ao terceiro ano completo de exploração: 

a) Pelo menos 90% do valor de negócios e do valor acrescentado bruto previsto na candidatura, sendo que cada um concorre em 50% para esse objetivo; 

b) A criação da totalidade dos postos de trabalho previstos na candidatura

Consulte toda a informação, incluindo o protocolo assinado neste link.

22 março | Arganil | Incentivos para o setor do Turismo

O CLDS 3G Arganil + Inclusiva em parceria com Turismo do Centro de Portugal, vai realizar no próximo dia 22 de março pelas 15 horas no auditório da Biblioteca Municipal de Arganil uma sessão de esclarecimentos sobre incentivos ao Sector do Turismo.

A apresentação incidirá sobre os sistemas de incentivos disponíveis para as empresas do setor do Turismo, mas abordará igualmente temas conexos, como a organização turística da região Centro de Portugal, Portugal 2020, Linha de Qualificação da Oferta, Programa Valorizar e as atividades turísticas e respetivos processos de licenciamento.

A sessão é aberta a empreendedores, empresários e a todos os que tenham interesse pela temática. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas através do email: geral@clds3garganil.pt ou do telefone: 235 200 220

18 de março de 2017

Regulamento do novo SI2E - SI Empreendedorismo e Emprego










Foi publicada a Portaria n.º 105/2017, de 10 de março, que define o regulamento geral do Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego (SI2E)

O SI2E pretende contribuir para os objectivos das políticas públicas relacionadas, com o Programa Nacional para a Coesão Territorial, estimulando o surgimento de iniciativas empresariais e a criação de emprego em territórios de baixa densidade e por essa via promove o desenvolvimento e a coesão económica e social do país, mas também com as políticas activas de emprego desenvolvidas.

Beneficiários: micro ou pequenas empresas legalmente constituídas

Âmbito territorial: O SI2E tem aplicação em todo o território do continente, em função das áreas territoriais previstas nas Estratégias de Desenvolvimento Local (gerido pelos GAL - Grupos de Acção Local), nos PDCT (geridos pelas CIM - Comunidades Intermunicipais) ou de territórios especificamente definidos nos avisos de abertura de candidaturas.

Limites de investimento elegível:

- Até 100 mil euros, nas Intervenções GAL; 
- Superior a 100 mil e até 235 mil euros, nas Intervenções CIM

Incentivos:

1. Investimento físico, na componente FEDER - incentivo não reembolsável

a) Taxa base: 40% para os investimentos localizados em territórios de baixa densidade (de acordo com o que vem definido no Programa Nacional para a Coesão Territorial) ou 30% para os investimentos localizados nos restantes territórios; 

b) Majorações até um máximo de 20 pontos percentuais a definir em sede de aviso de abertura de candidaturas em função dos seguintes fatores: 

i) Projetos de criação de micro e pequenas empresas ou expansão ou modernização de micro e pequenas empresas criadas há menos de cinco anos;
ii) Projetos enquadrados em prioridades especialmente relevantes para os territórios em causa.

2. Investimento em criação de emprego, na componente FSE

Comparticipação das remunerações de postos de trabalho criados e tem como limite mensal o valor correspondente ao Indexante de Apoio Social (IAS, que em 2017 é de 421,32€), observando os seguintes períodos máximos por tipo de contrato e majorações: 

a) Período base: 9 meses, para contratos de trabalho sem termo ou criação do próprio emprego, ou de 3 meses, para contratos de trabalho a termo com uma duração mínima de 12 meses; 

b) Majorações de 3 meses, para as Intervenções GAL, e 2,5 meses com um máximo de 6 meses, para as restantes situações, por cada uma das seguintes situações: 

i) Projetos localizados em territórios de baixa densidade; 
ii) Projetos de criação de empresas;
iii) Para trabalhadores do género sub-representado ou para trabalhadores qualificados nos termos definidos nas alíneas g) e m) do artigo 2.º; 

Resumo das despesas elegíveis:

1. Investimento físico, na componente FEDER

a) Custos de aquisição de máquinas, equipamentos, respetiva instalação e transporte; 

b) Custos de aquisição de equipamentos informáticos, incluindo software;

c) Software standard ou desenvolvido especificamente para a atividade da empresa; 

d) Custos de conceção e registo associados à criação de novas marcas ou coleções; 

e) Custos iniciais associados à domiciliação de aplicações, adesão inicial a plataformas eletrónicas, subscrição inicial de aplicações em regimes de «software as a servisse», criação e publicação inicial de novos conteúdos eletrónicos, bem como a inclusão ou catalogação em diretórios ou motores de busca; 

f) Serviços de arquitetura e engenharia relacionados com a implementação do projeto; 

g) *Material circulante diretamente relacionado com o exercício da atividade em que seja imprescindível à execução da operação; 

h) Estudos, diagnósticos, auditorias, planos de marketing e projetos de arquitetura e de engenharia; 

i) Obras de remodelação ou adaptação; 

j) Participação em feiras e exposições no estrangeiro: 


2. Investimento em criação de emprego, na componente FSE

a) Criação do próprio emprego; 

b) Criação de postos de trabalho para desempregados inscritos há mais de 6 meses no Instituto do Emprego e Formação Profissional, I. P. (IEFP, I. P.), incluindo desempregados de longa e muito longa duração; 

c) Criação de postos de trabalho para jovens até 30 anos à procura do primeiro emprego inscritos no IEFP, I. P., como desempregados há pelo menos 2 meses.

Resumo das principais despesas não elegíveis:

a) Compra de imóveis, incluindo terrenos; 

b) Trespasse e direitos de utilização de espaços; 

c) Aquisição de veículos automóveis, aeronaves e outro material de transporte ou aeronáutico que não estejam incluídos na alínea g) do n.º 1 do artigo 10.º; *

d) Aquisição de bens em estado de uso;

A leitura deste resumo não deve substituir uma leitura integral da Portaria, do Regulamento Específico do Domínio da Inclusão Social e Emprego, aprovado em anexo à Portaria n.º 97 -A/2015, de 30 de março, alterado pela Portaria n.º 181-C/2015, de 19 de junho, e pela Portaria n.º 265/2016, de 13 de outubro, nem o contacto directo com as entidades gestoras dos fundos.

15 de março de 2017

Vencedores dos Concursos de Teses Académicas

O Júri final dos Concursos de Teses Académicas, presidido por António Martins, em representação da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Centro, determinou que a tese "Turismo em família: a importância do Turismo para famílias economicamente carenciadas", da autoria de Joana Inês Silva de Lima é a vencedora da categoria Tese de Doutoramento, tendo sido determinante a pontuação obtida no critério "Originalidade dos trabalhos".

O vencedor da categoria Tese de Mestrado foi André Inácio Teixeira Pedrosa com a tese "Definição de percursos turísticos cicláveis na Região de Aveiro com recurso aos sistemas de informação geográfica", que beneficiou de uma pontuação decisiva no critério "Impacto da tese nas empresas turísticas da região Centro de Portugal e/ou nas entidades públicas com competências no setor", determinante no desempate com a tese "Destination readiness to the needs and demands of millennials: Centro de Portugal case study", de Tiago José Rodrigues Lopes, de acordo com o regulamento do concurso.

Os prémios relativos aos Concursos de Teses Académicas e ao Concurso de Empreendedorismo Turístico | Prémio José Manuel Alves serão entregues no “Vê Portugal” - 4.º Fórum de Turismo Interno, que se realiza de 29 a 31 de maio, em Leiria.

Centro de Portugal inicia 2017 a subir 7,49% nas dormidas


Os resultados publicados hoje pelo INE relativos à actividade turística no Centro de Portugal no mês de Janeiro de 2017 apontam para um crescimento de 7,49% (+ 14.860 dormidas do que em Janeiro de 2016). As dormidas de turistas nacionais aumentaram 2,23% (+ 3.203 dormidas), enquanto que no mercado externo, o crescimento foi mais significativo alcançando os 21,34% (a que corresponderam mais 11.657 dormidas do que no período homólogo de 2016). Registe-se ainda a subida relevante no aumento dos proveitos (+ 17,32%) em comparação com o mês de janeiro de 2016.

14 de março de 2017

Projeto SECURIS vence Prémio José Manuel Alves 2016



Após a votação do Júri Final, composto por Miguel Mendes, em representação do Turismo de Portugal, e Miguel Barbosa, diretor da Unidade de Turismo da Portugal Ventures, o Projeto SECURIS, apresentado por Pedro Matos Costa, Tiago Filipe Domingues Simões, Luís Eduardo Gamito Zenha-Rela é o grande vencedor da segunda edição do Concurso de Empreendedorismo Turístico | Prémio José Manuel Alves.

Na segunda posição do concurso foi distinguido o projeto Invisiwall, dos promotores Rui Nuno Castro, Ivo Pimentel, João Diogo Ramos, Eduardo Esteves e Simon Punter e no terceiro lugar ficou o projeto Mondego Art Valley, proposto por Catharina Sligting.

O Concurso de Empreendedorismo Turístico 2016, que teve a participação de 56 ideias de negócio, destina-se à deteção e apoio a projetos inovadores no setor do Turismo com implementação na região Centro de Portugal, sendo atribuído ao vencedor o Prémio José Manuel Alves, em homenagem ao percurso do ex-presidente da Região de Turismo do Centro, que esteve na génese da criação do gabinete de apoio ao investimento turístico, na região Centro de Portugal.

Apoio ao Investimento Turístico no Leiria Centro Exportador

A equipa de Apoio ao Investimento Turístico da Turismo Centro de Portugal vai estar no Leiria Centro Exportador, evento que terá lugar na próxima sexta-feira, 17 de março, no Mercado de Sant'ana. Este evento, que é organizado pela AAPI - Associação de Ação para a Internacionalização conta com a presença de representantes de cerca de 20 Câmaras de Comércio e diversas empresas e entidades ligadas à internacionalização da economia, contando ainda com a realização de diversos workshops temáticos. Caso pretenda reunir com a equipa de  Apoio ao Investimento Turístico da TCP, durante a próxima sexta-feira, no stand 24, envie-nos um e-mail para anabela.ribeiro@turismodocentro.pt para agendar uma reunião.

8 de março de 2017

Apoio ao Investimento Turístico na BTL 2017




O Núcleo de Apoio ao Investimento Turístico estará entre os dias 15 (quarta-feira) e 18 de março (sábado) na BTL no stand da Turismo Centro de Portugal, com um técnico em permanência disponível para reunir com os nossos empresários. Para agendar reunião, por favor entre em contacto com Viriato Dias, contactável através do número 925 402 692 ou do e-mail viriato.dias@turismodocentro.pt

7 de março de 2017

SPIN + | inscrições até 10 de março


O SPIN+, uma iniciativa da RIERC - Rede de Incubadoras de Empresas da Região Centro, pretende ser uma experiência de definição e validação de modelos de negócio que valoriza o conhecimento de base tecnológica e a sua orientação para o mercado e estimula a criatividade e a colaboração em Rede.

O SPIN+ decorrerá durante seis meses, prevendo a realização de 14 sessões de trabalho, com 7 horas cada, que irão focar temas que ajudarão as equipas a desenvolver a sua ideia de negócio, em todas as fases do projecto.

As inscrições devem ser formalizadas até dia 10 de março para o email: acelerador.rierc@cec.org.pt

Mais informações: CEC

6 de março de 2017

8 março | Coimbra | V Jornadas de Empreendedorismo Turístico


A Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra vai organizar as V Jornadas de Empreendedorismo Turístico - Encontra o teu Negócio, no próximo dia 8 de março, entre as 09:00 e as 17:00. O programa da sessão inclui a participação do Dr. Sérgio Guerreiro, responsável pela Estratégia de Empreendedorismo e Inovação no Turismo de Portugal, a apresentação de boas práticas desenvolvidas no sector do Turismo e um concurso de ideias, que decorrerá durante a tarde.

A sessão decorrerá na Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra, com participação gratuita, devendo a inscrição ser formalizada no formulário disponível neste link.

2 de março de 2017

Concursos TCP | Tese de Doutoramento | Maria Gorete Ferreira Dinis

Indicadores do Comportamento Online e Tendências da Procura Turística: As ferramentas Google Trends e Google Analytics


Abstract


O trabalho de investigação tem como objetivo mostrar a capacidade das ferramentas Google Trends (GT) e Google Analytics (GA) para fornecerem indicadores, quase em tempo real, sobre os interesses e comportamentos online coletivos, com base nas pesquisas realizadas no Google e nos movimentos dos visitantes nos sites, respetivamente. Para tal, iniciou-se a investigação com uma revisão da literatura e análise de dados secundários que permitiu: conhecer as políticas, indicadores e estatísticas oficiais do turismo, a utilização da Internet e as potencialidades da web analytics, principalmente do GT e GA para os agentes do turismo, bem como as determinantes, modelos e tendências da procura turística. O estudo empírico centrou-se na análise dos dados primários obtidos com as ferramentas e na relação dos dados online com os dados oficiais publicados sobre o turismo, focando-se a análise no território nacional e regiões. Os resultados obtidos mostram que o padrão de comportamento e interesses dos indivíduos que pesquisam no Google a partir do território nacional sobre os subsetores do turismo, recursos e destinos turísticos é muito similar ao verificado na realidade, e do cruzamento dos dados das pesquisas online sobre alojamento com as dormidas nos estabelecimentos hoteleiros em Portugal constatou-se que existe uma forte correlação entre os dados, com um desfasamento temporal que varia com o local de acesso à Internet do individuo. Além disso, demonstrou-se a capacidade dos dados do GT como indicador avançado da procura turística em Portugal, e desenvolveram-se novos indicadores para medir o interesse online interno e externo pelo turismo em Portugal e suas regiões. Adicionalmente, foram analisados os dados obtidos através da ferramenta GA referentes ao site do turismo do Alentejo, demonstrando-se que estes fornecem informação útil para compreender o comportamento e perfil do visitante ao nível de um destino turístico regional. A tese contribuiu para mostrar o potencial da Internet como fonte de dados, e a possibilidade de utilização desses dados para obter conhecimento na área do turismo e prever com melhor precisão a procura turística de Portugal, antes da publicação oficial da informação estatística sobre o setor. 

Palavras Chave: Indicadores, Google Analytics, Google Trends, Procura Turística, Portugal

Concursos TCP | Empreendedorismo Finalista | Eco Friendland


Friendland, é um novo conceito turístico ecológico a ser implementado na região Centro do nosso país. Perguntaremos aos nossos futuros hóspedes: já se imaginou numa eco house com um estilo, design e arquitectura completamente diferentes? Parece um sonho distante, mas não é. O nosso projecto vai criar uma nova realidade.

Friendland é um conceito completamente inovador, que conseguirá captar turistas estrangeiros numa zona muito pouco desenvolvida turisticamente. Com um alto índice de rendimento, este projecto foca-se no bem estar dos turistas e a vitalidade da empresa.

No que diz respeito ao público alvo, Friendland é um projecto tão abrangente como o seu próprio conceito, sendo que qualquer turista se sentirá completamente livre, independentemente da sua condição física ou grau de mobilidade.

1 de março de 2017

Concursos TCP | Tese de Doutoramento | Joana Inês Silva de Lima

Turismo em família: a importância do Turismo para famílias economicamente carenciadas

Abstract

Tourism offers opportunities to explore new environments, generating benefits to tourists. One of these benefits is the opportunity to participate in a dimension of the modern society involving contact with other dimensions of this society, with potential for increasing social inclusion. Also, although considered an activity that should be accessible “for all”, nowadays low income is one of the constraints that make tourism inaccessible for many groups in society. Conversely, the study of these effects and constraints have been relatively neglected, particularly if considering the context of family tourism. 

This thesis aims to extend the knowledge about the effects of family tourism, in general, and, in particular, for economically disadvantaged families, contributing to find more effective and innovative ways of combating poverty and social exclusion, highlighting the role of tourism as social innovation action. 

Considering the central purpose of this research and the methodologies adopted by previous studies it was decided to adopt a mixed methodology, allowing the complementation of the quantitative analysis with a qualitative analysis. 

The empirical study analysed the Portuguese reality and was divided into three distinct and complementary parts: the first part the leisure and tourism expenditure patterns of the Portuguese families were analysed, comparing the low-income households with the other households; the second part comprised the analysis of the effects of family tourism and the constraints felt by a sample of families of the Centro region; and in the third part, the tourism activity of a sample of economically disadvantaged families was analysed. 

The results show that family tourism has important effects for individuals and families, and that these effects are distinguished according to factors such as motivations and the experiences lived during the tourist practice. Results also show that these effects vary its intensity according to the socioeconomic characteristics of the families. Also, financial constraints appear as the most important type of constraint to family tourism for the surveyed families. This analysis culminates in a set of practical recommendations and implications regarding the importance of tourism for economically disadvantaged families. Guidelines for designing or improving social tourism programs for families are identified. 

Keywords: Family tourism; social tourism; economically disadvantaged families; effects of tourism; tourism constraints; tourism expenditure patterns; determinants of the tourism effects; Portugal.

Concursos TCP | Tese de Doutoramento | Dulcineia Basílio Ramos

O planeamento em turismo e as redes no desenvolvimento local - O caso da região Oeste

Abstract

O paradigma do planeamento em turismo toma contornos cada vez mais importantes na esfera local. As estratégias de turismo implicam relações com a gestão do território e com fenómenos do desenvolvimento da economia e do bem-estar. 

As questões supramunicipais de planeamento apontam para uma tendência de gestão do território cada vez mais holística e integrada que permita o desenvolvimento económico, a preservação da natureza e o aumento do índice de qualidade de vida das populações locais. 

Constata-se que a organização em redes de colaboração pode ser uma solução com benefícios para todos os stakeholders, já que estas estimulam a aprendizagem interorganizacional, induzem um sentido de comunidade e permitem a concretização de objetivos comuns e participados. 

Pretende-se investigar nesta tese a importância estratégica das redes para a estruturação do planeamento do turismo ao nível local, tendo em vista a implementação de formas de desenvolvimento turístico urbano sustentável. Será apresentado um estudo de caso referente a uma Nomenclatura de Unidades Territorial (NUT) III – a região Oeste. São abordados diversos temas, tais como: as tendências de planeamento e as formas de governância; as inter-relações entre as políticas locais e europeias e os princípios de sustentabilidade presentes nestas; e qual o contributo que as redes podem deter para o desenvolvimento do turismo sustentável. 

Os resultados obtidos apresentam um diagnóstico da região em estudo e comprovam uma alteração progressiva no modo de fazer planeamento local numa forma mais holística e participada. 

Esta colaboração é concretizada essencialmente de duas maneiras, ou recorrendo à constituição de parcerias público-privadas, ou através da construção de redes formais ou informais. Portanto, esta tese pode tornar-se numa ferramenta para o melhoramento dos processos de planeamento em turismo com vista ao desenvolvimento local. 

Palavras-chave: planeamento em turismo, redes, desenvolvimento local, sustentabilidade, NUT III -Oeste

Concursos TCP | Empreendedorismo Finalista | Terras de Mondalva® - Turismo de Experiências


Terras de Mondalva® - Turismo de Experiências é um projeto empresarial turístico multissetorial de gestão e integração sustentável de elementos paisagísticos naturais, históricos, culturais e patrimoniais com vista à valorização económica, social, ecológica e cultural do território compreendido entre os rios Mondego e Alva.

Prevê unidades de alojamento (casas tradicionais em xisto) estando em projeto e com data prevista de conclusão para 2019, um espaço de receção e alojamentos upscale, um equipamento comum multifuncional / restauração e bebidas / apoio balnear e a (re)construção de equipamento para apoio à prática da pesca - “Academia de Pesca”, para além de uma piscina biológica. 

Terras de Mondalva® pretende oferecer igualmente um conjunto de produtos turísticos completo (alojamento + atividades + alimentação), adequado e feito à medida do turista.

Desta forma, pretende-se explorar os seguintes segmentos/subprodutos:

- Pomar de Medronhal (Strawberry Tree Farm) vs Medronhal silvestre melhorado: ambiência rural em cultura mediterrânica diferenciada; 
- Foodie Radical: - colheita de medronhos em Out-Dez e fabricação artesanal de medronhada, geleia, compota, aguardente e licor, mel, vinagre de medronho e outros produtos à base de medronho;
- Colheita de milho e moagem na “Casa da Roda” ou num dos inúmeros moinhos de vento (Rota dos Moinhos de Vento) para a fabricação da farinha e posterior cozedura da broa no forno a lenha;
- Colheita do linho e contacto com as técnicas tradicionais de fiar;
- Passeio “à vara” no Barco do Lavrador ou do Trabalhador;
- Pesca sem morte e flyfishing;
- Pesca (Fishing Farm): pesca lúdica, desportiva e academia de pesca; 
- Rede de percursos - PR3-PCV – Rota do Alva - que abrange grande parte da área de implementação do projeto, passando por algumas das suas propriedades;
- Agrofitness®: prática de exercício decorrente do trabalho no meio rural, com vários níveis de intervenção (Acessível, Radical, etc.);
- Ecofitness: prática de exercício decorrente do trabalho de conservação da natureza;
- Ilha do Tesouro (Gold Island): prática da caça ao ouro numa ilha fluvial temática (o rio Alva é um dos rio mais auríferos do país);
- Turismo do Imaginário que se refere à descoberta do território através de narrativas moldadas pela cultura material e imaterial das comunidades locais, envolvendo-as, de uma forma voluntária, em que se desenvolve diversas atividades como redes de trilhos pedestres, seminários, eventos, teatros de rua, workshops, etc.; 
- Extensão do city break por cross-selling (Terras de Mondalva® é hinterland de Coimbra, Viseu, Aveiro).

28 de fevereiro de 2017

Concursos TCP | Tese de Doutoramento | George Manuel de Almeida Ramos

Inovação Institucional, Turismo e Desenvolvimento em Territórios de Baixa Densidade - O caso do Geopark Naturtejo

Abstract

As discussões e iniciativas à volta da inovação têm sido acompanhadas por uma crescente literatura que apresenta e estuda abordagens ao produto, ao serviço, ao processo, ao modelo de negócio, à própria gestão. Apesar de úteis, aquelas discussões e iniciativas podem acabar por falhar uma oportunidade relevante, subexplorada e cada vez mais relevante - a inovação institucional. 

A possibilidade de rever o estado da arte da atuação das instituições e desenvolvendo a arquitetura relacional dentro e entre instituições, reavaliando os trade-offs entre elas é o ponto de partida do trabalho apresentado, prestando a atenção devida ao conhecimento, à aprendizagem, à criatividade, ao funcionamento em rede e ao território. Percebendo a importância deste tipo de inovação, este trabalho pretende analisar a contribuição de inovação institucional para o desenvolvimento das atividades turísticas em territórios de baixa densidade, focando o papel desempenhado pelos geoparques. Para atingir este desiderato, a perceção das dinâmicas no Turismo, do lado da oferta e do lado da procura, são fundamentais no sentido de posicionar o caso de estudo - o Geoparque Naturtejo da Meseta Meridional, Portugal – no âmbito daquelas dinâmicas. 

As conclusões retiradas evidenciam (ainda) alguma articulação precária entre os atores regionais e um grande nível de dependência face aos poderes públicos, limitando o impacto que a instituição Geoparque Naturtejo produz no território. É possível ainda referir um subaproveitamento das potencialidades existentes na região, seja ao nível dos atores, seja ao nível da oferta. A capacidade do Geoparque em estabelecer o ‘seu’ território é inegável; o reconhecimento desse território por parte da comunidade em geral (residentes, empresas, turistas) é, no entanto, algo que exige um esforço maior pela gestão da instituição. 

Palavras-Chave: Desenvolvimento; Territórios de Baixa Densidade; Turismo; Inovação; Geoparques.

Concursos TCP | Tese de Doutoramento | Carlos Alberto Figueiredo da Costa

Turismo na Serra da Estrela - Impactos, transformações recentes e caminhos para o futuro

Abstract

A Serra da Estrela, assim como o seu território envolvente, tem apresentado profundas transformações económicas e sociais ao longo das últimas décadas, sobretudo a partir do último quartel do século XX. À emergência da atividade industrial ligada ao setor têxtil seguiu-se um período de depressão profunda, materializado num processo de falência em massa das indústrias ligadas ao setor, desemprego e movimentos demográficos de abandono do território.

A atividade do turismo apresenta-se, hoje, por todo o mundo, como uma atividade em franco crescimento, capaz de gerar fluxos económicos significativos e novas oportunidades de desenvolvimento. Portugal e a região da Serra da Estrela, no contexto de uma economia aberta e globalizada, não se encontram à margem deste fenómeno. O turismo, enquanto atividade económica, funciona como um agente indutor de desenvolvimento, sobretudo em regiões onde o tecido económico e produtivo se apresenta pouco competitivo, pelo investimento em infraestruturas, empregos gerados e fixação das pessoas ao território. Assim, sustentados nesta realidade, decidimos avançar com um estudo sobre os efeitos ponderosos que a atividade do turismo apresenta, quando associada ao exercício da atividade do planeamento, no contexto do território supra referido. Nesse sentido, para além de colocar em evidência o potencial turístico intrínseco à região da Serra da Estrela, designadamente a partir dos seus recursos mais atrativos, a investigação que aqui se apresenta pretende dar resposta à questão central, que reside no impacto que o planeamento e uma correta gestão dos recursos turísticos podem ter no processo de transformação económica e social da região.

Foi estruturado um modelo de investigação de acordo com os cânones da investigação científica, onde a técnica Delphi assumiu preponderante importância, tendo-se constituído, para esse efeito, um painel de especialistas convidados que, direta ou indiretamente, se encontram ligados à atividade do turismo no território em análise. Do estudo resultou a identificação dos recursos mais atrativos, transformações ocorridas, produtos e medidas estratégicas de intervenção a desenvolver no território da Serra da Estrela e respetiva gestão enquanto destino turístico.

Palavras-chave: Recursos turísticos; Potencial turístico; Turismo da natureza; Planeamento estratégico e sectorial; Gestão de Destinos.

Concursos TCP | Empreendedorismo Finalista | Mondego Art Valley


O projecto Mondego Art Valley compreende um conceito total: uma quinta rural de 22 ha, com animais, agricultura biodinâmica, restauração com recurso a horta própria, ambiente ecológico, alojamento para turistas, salas de estar, ateliers, teatro ao ar livre, terraços, e uma equipa jovem e dinâmica e suporte de empreendedores com muita experiência em todo o mundo.

Na quinta com agricultura biodinâmica queremos iniciar uma Residência de Artes, incluindo alojamento para, no máximo, 20 pessoas, que participem em actividades (workshops, summerschool, training) criativas, também usada pelos artistas individuais ou grupos de teatro, música e dança. Para além do edifício multiusos (teatro, música, dança, formação,), e inserido na paisagem natural, pretende-se implementar um conjunto de ofertas como esculturas, pavilhão de poesia, quiosque de ciências da natureza, biopiscina e estrutura esférica de estrela. Prevê-se o desenvolvimento de programação durante todo o ano, com actividades relacionadas com a arte e a natureza, e a realização de um festival anual de arte no verão.

27 de fevereiro de 2017

Concursos TCP | Tese de Mestrado Finalista | Patrícia Alexandra Oliveira Pinto

O papel do marketing territorial no desenvolvimento das cidades inteligentes: o caso da cidade de Viseu

Abstract

O estudo pretende analisar o papel do marketing territorial no desenvolvimento das cidades inteligentes, analisando a aplicabilidade do primeiro na definição de estratégias inteligentes. Viseu é a cidade em estudo, para a qual se procura apresentar um conjunto de eixos de desenvolvimento estratégico que possam contribuir para um plano estruturado e sustentado, que tenha como objetivo implementar práticas inteligentes, inclusivas e participativas na cidade, segundo diretrizes identificadas pelas análises de marketing. 

Para o efeito, efetuada uma abordagem metodológica qualitativa a um estudo exploratório e descritivo, no qual se aplicaram entrevistas semiestruturadas a atores estratégicos da cidade. Pode-se considerar que as estratégias inteligentes a implementar devem ser articuladas com os resultados obtidos em análises conclusivas de marketing, a fim de, numa visão global, serem identificadas necessidades, obstáculos, desejos e ambições dos diferentes públicos da cidade. 

Desta forma, pode ser planeado um conjunto de estratégias inteligentes a implementar a médio e longo prazo, desenvolvendo um projeto sustentável e eficiente. Os esforços devem ser centralizados nas pessoas, na sua qualidade de vida e felicidade. As medidas definidas devem ter como prioridade uma resposta imediata aos diferentes públicos da cidade. Será sobre este paradigma que devem ser aplicadas ferramentas tecnológicas, capazes de servir as pessoas enquanto instrumentos facilitadores dos processos e enquanto soluções integradas e coesas, resultando por fim numa cidade inteligente, numa cidade sustentada, eficiente, integrada, inclusiva, colaborativa e dinâmica. 

Palavras-chave: cidades inteligentes, marketing territorial, Viseu

Concursos TCP | Tese de Mestrado Finalista | Marta Gil da Silva Araújo

Comportamentos do consumidor e a relação com o Turismo Criativo: requalificação das regiões Centro Interior de Portugal

Abstract

O país tem sofrido grandes mudanças sociodemográficas e apresenta-se com duas realidades distintas, se por um lado as grandes metrópoles e centros urbanos litorais, continuam a ser dos mais procurados, quer interna (movimentos populacionais migratórios), quer externamente (p.e. Lisboa e Porto são atualmente um dos destinos turísticos mais procurados e estão na moda), as regiões do interior estão cada vez mais esquecidas. 

Por outro lado, o consumidor é um ser em constante mudança. Cada vez mais, as pessoas revelam estar preocupadas com a sustentabilidade económica, social e ambiental influenciando a sua decisão de compra e sua forma de estar perante a sociedade e as marcas. O consumidor de hoje não é o mesmo consumidor de há 30 anos atrás. A evolução tecnológica, o desenvolvimento da economia e da sociedade ajudaram a moldar um novo tipo de consumidor, com novos comportamentos de consumo e novos estilos de vida. 

Por fim, o Turismo que é um dos maiores sectores da economia portuguesa e mundial! Segundo dados da WTTC (2016b), durante o ano de 2015, este sector gerou 7,2 biliões de dólares americanos e 284 milhões de empregos à escala mundial, representando 9,8% do PIB mundial e 1 em cada 11 empregos respectivamente. O mesmo organismo prevê que, para o ano de 2016 o seu contributo para o PIB mundial cresça em 3,3%. 

Na convergência destes três elementos reside a essência da temática que esta dissertação pretende explorar. 

Palavras-chave: Turismo Criativo, Comportamento do turista, Experiências Criativas, Turista Criativo, Marketing do Turismo

Concursos TCP | Empreendedorismo Finalista | Aquaconsult


Pretende-se criar um serviço centrado na optimização dos diferentes usos da água, com um equipamento de fácil montagem que monitoriza e envia a informação para servidor. A filosofia de integração do sistema de abastecimento de água da instalação considera a gestão da água em todas as áreas com as quais se possam incrementar sinergias. A gestão integrada permitirá ter uma visão global no que concerne à eficiência hídrica e energética.

O sistema terá a capacidade de reconhecer os consumos anómalos e criar alertas para os utilizadores. A fiabilidade do equipamento será o elemento diferenciador. O sistema será um guia orientador para a implementação de boas práticas.

As empresas alvo do sistema poderão obter elevados padrões de eficiência e de racionalidade no uso da água nos diferentes usos. Investir numa consciencialização do utilizador para a mudança de uma cultura do desperdício para a consciencialização do uso racional da água.

24 de fevereiro de 2017

Concursos TCP | Tese de Mestrado Finalista | Marta do Céu Rodrigues Francisco

Análise Comparativa entre o Sistema Europeu de Indicadores de Turismo para Destinos Sustentáveis e a Carta Europeia de Turismo Sustentável

Abstract

O turismo tornou-se um tema de primordial importância, na medida em que é considerado um dos impulsionadores da economia mundial. Por outro lado, pode provocar impactes na comunidade, no património cultural e no ambiente. 

Os instrumentos de gestão da sustentabilidade de destinos turísticos surgem, neste sentido, como elementos fundamentais que permitem efetuar o acompanhamento da evolução da sustentabilidade em destinos turísticos. 

Neste contexto, a monitorização de variáveis económicas, sociais, culturais e ambientais em destinos turísticos e, em particular, em áreas protegidas e classificadas, revela-se crucial para assegurar uma melhor gestão de sustentabilidade. 

O presente estudo visa comparar o Sistema Europeu de Indicadores de Turismo (ETIS) para Destinos Sustentáveis e a Carta Europeia de Turismo Sustentável (CETS), de forma a identificar o conjunto de indicadores de monitorização da sustentabilidade que podem ser aplicados a destinos de Turismo de Natureza e galardoados com a CETS, em concreto no território CETS do Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG). 

A comparação mostra que os indicadores do ETIS se encontram associados às questões e princípios da CETS. Não obstante, as temáticas segurança e saúde, igualdade do género, alterações climáticas e poluição luminosa não se encontram explícitas na CETS. No geral, os indicadores do ETIS não se encontram ilustrados, qualitativa ou quantitativamente, nas questões da CETS. A recolha de dados, para o território CETS do PNPG, não se evidencia exequível e expedita para a maior parte dos indicadores. Contudo, com a implementação do Plano de Ação do PNPG, estima-se que seja possível recolher uma percentagem elevada de informação através das ações previstas no documento referido. 

Com base nas caraterísticas do território, designadamente por se encontrar inserido numa área protegida (PNPG) e classificada (Rede Natura 2000, Reserva da Biosfera), constata-se que é pertinente a integração de grande parte dos indicadores do ETIS na CETS. Esta constatação está de acordo com o esperado, na medida em que a monitorização da sustentabilidade depende de fatores económicos, sociais, culturais e ambientais e de informação adicional relacionada com a perceção das partes interessadas (residentes, visitantes, empresas e entidades diversas). 

Palavras-Chave: Turismo Sustentável, Destinos Sustentáveis, ETIS, CETS, Turismo de Natureza.

Concursos TCP | Empreendedorismo Finalista | Turismo para Todos!


O projeto Turismo para Todos tem o intuito de criar acessibilidade para qualquer cidadão. Quebrar barreiras, arquitectónicas e comunicativas e mostrar que o Turismo é de facto para todos. Valorizando a inclusão no trabalho queremos dar preferência a pessoas com algum tipo de limitação para integração da equipa de trabalho.

A equipa terá formação em diferentes áreas específicas necessárias para a criação de um serviço e produto inclusivo e de qualidade. O objetivo é a criação de uma agência de viagens com um espaço e atendimento acessível. A par com o espaço físico é nosso objetivo a criação de uma aplicação móvel informativa para acesso a conteúdos informativos acessíveis. Assim, uma pessoa surda ou cega por exemplo, poderá consultar informação através de formatos que lhe sejam viáveis e que lhes permitam planear uma viagem sem qualquer limitação e barreira comunicativa.

Nessa mesma aplicação é pretendido dar a conhecer ao cliente qual o produto acessível já existente a nível nacional e europeu. Um projeto diferente onde o objetivo principal é inovar para informar e integrar.

23 de fevereiro de 2017

Concursos TCP | Empreendedorismo Finalista | Ecomuseu do Arroz



Enquanto instrumento de desenvolvimento, de valorização e preservação da actividade ligada à produção de arroz no Baixo Mondego, terá residência num espaço físico com exposição de todo o património ligado à actividade e visitas no território permitindo-se uma comunicação interactiva com os produtores e suas actividades. Este projecto de Ecomuseu parte de dois conceitos-metodológicos fundamentais:

“Museu do Tempo” que se localizará num conjunto de edifícios específicos, implantados em Montemor-o-Velho, que terão uma relação directa com a história desta comunidade e dos territórios envolvidos na produção de arroz.

Haverá neste local artefactos e informações que contem e mostrem a história da formação do solo destes territórios até ao ecossistema, das culturas que ali habitaram e as contribuições que tiveram para o ambiente e arquitecturas existentes, fazendo com que a comunidade, que vive e trabalha nestes territórios se sinta valorizada e representada.

“Museu do espaço” que serão os circuitos onde o visitante poderá ver o que lhe foi apresentado no Museu do Tempo, onde verá os processos, as formações geológicas, além de observar a fauna, a flora e as tradições locais.

Um componente deste Ecomuseu é a interpretação deste local como um “laboratório” na medida em que contribui para o estudo histórico e contemporâneo da comunidade e favorece a formação de especialistas de campos como arqueologia, história, sociologia, geologia e biologia, em colaboração com organizações externas de investigação; como um “conservatório” na medida em que ajuda a preservação e a valorização do património natural e cultural da comunidade; e uma “escola” como local que estuda e protege a comunidade, ajudando-a a compreender melhor os problemas do seu próprio futuro.


22 de fevereiro de 2017

Concursos TCP | Tese de Mestrado Finalista | André Inácio Teixeira Pedrosa

Definição de percursos turísticos cicláveis na Região de Aveiro com recurso aos sistemas de informação geográfica

Abstract

A bicicleta é um modo de transporte importante e com uma longa tradição na Região de Aveiro, e tem sido uma das apostas das entidades locais ao longo dos anos. No entanto, apesar da existência de um conjunto significativo de vias cicláveis na região, deteta-se ainda a falta de iniciativas relacionadas com o turismo ciclável à escala supramunicipal. Neste sentido, é importante a definição de percursos turísticos cicláveis intermunicipais para esta Região, sendo o principal objetivo deste projeto a sua identificação. 

Para isso, foi efetuada uma revisão da literatura acerca do turismo ciclável e dos sistemas de informação geográfica, assim como foi feita uma caracterização geral da Região de Aveiro. 

Em termos metodológicos, numa primeira fase foram definidos os pontos de interesse a incluir em cada um dos percursos, tendo em consideração os instrumentos de gestão territorial e a estratégia de cada um dos municípios da Região de Aveiro. Para definir o trajeto ideal através dos pontos de interesse selecionados recorreu-se aos sistemas de informação geográfica. Para tal, foram utilizados critérios que influenciam a experiência do turista ciclável, como o comprimento, o declive, o limite de velocidade e a capacidade da via, assim como a paisagem e a distância às zonas industriais. Nesse processo foi utilizada a extensão Network Analyst do software ArcGIS. 

O resultado são dez percursos curtos, seis médios e quatro longos, que permitem aos vários segmentos de mercado visitar os pontos de interesse e conhecer a Região de Aveiro de uma forma sustentável, em termos económicos, sociais e ambientais. 

Os percursos cicláveis definidos podem ser aproveitados pela CIRA na promoção da bicicleta e do turismo na região. Além disso, o trabalho desenvolvido pode ser utilizado no planeamento da mobilidade ciclável nos municípios na Região de Aveiro, e, ainda, reproduzido noutros territórios interessados nestas questões. As entidades privadas beneficiam com a promoção do seu território ou com a possibilidade de explorar este serviço. 

Palavras-chave:
Percursos cicláveis; Turismo ciclável; Turismo; Sistemas de informação geográfica; Região de Aveiro;

Concursos TCP | Empreendedorismo Finalista | Invisiwall


Desde sempre o Homem sentiu uma necessidade de marcar a sua presença de forma simbólica nos lugares por onde passou. Fossem marcas coletivas ou mais pessoais, o Homem sempre o fez e continuará a fazer em todos os lugares por onde passa. Isso é visível nas pinturas rupestres da pré-história, nos marcos deixados nos lugares mais recônditos e inóspitos. Quando colocou o pé na Lua, o Homem, mais uma vez deixou uma marca na esperança de que um dia ela diga alguma coisa a alguém.

Esta necessidade começa cedo. Os jovens do mundo inteiro deixam grafitis urbanos, rabiscam o mobiliário das escolas e hotéis por onde passam e quando mais velhos gostam de deixar a sua marca num memorial de homenagem, num monumento, num lugar simbólico, no seu restaurante favorito ou mesmo na passadeira da fama em Hollywood. Este comportamento está tão enraizado na Humanidade que, mais do que uma informação, pretende-se cumprir quase uma cerimónia ritual que perpetue a nossa presença num determinado local.

A Invisiwall pretende dar resposta a esta necessidade instintiva que o Homem sente.

De forma virtual, através de uma tecnologia mobile centric e recurso a realidade virtual, cada utilizador poderá deixar numa determinado local os elementos que entender. Um texto, um desenho, uma foto, uma flor ou uma vela agarrada a uma coordenada para ser vista por aqueles que partilhem o mesmo lugar.

Apesar de um cariz marcadamente global, este projeto tem uma forte componente de promoção turística e de preservação do património. Numa lógica de prova de conceito será sempre, numa primeira fase, desenvolvido e aplicado a Portugal e aos seus infindáveis recursos turísticos e patrimoniais.

Trata-se de um projeto que dará origem a uma nova empresa, é desde a sua génese constituído por uma equipa multidisciplinar, experiente e com elementos nacionais e internacionais.

Website: www.getinvisiwall.com
Facebook: www.facebook.com/getinvisiwall
Instagram: www.instagram.com/invisiwall
LinkedIn: www.linkedin.com/company-beta/15234180

21 de fevereiro de 2017

24 fevereiro | Apresentação do Cantanhede Empreende

A AEC - Associação Empresarial de Cantanhede está a organizar uma sessão de apresentação de um novo projecto denominado – CANTANHEDE EMPREENDE, que decorrerá no dia 24 de Fevereiro, pelas 14:30, no Auditório da Biblioteca Municipal de Cantanhede.

O projecto tem como objectivos apoiar o nascimento de novas empresas e novos empreendedores, fomentar a inovação, o empreendedorismo e o espírito empresarial e promover a mudança cultural a favor do espírito de iniciativa, do estímulo à criatividade e detecção de novas oportunidades.

São destinatários deste projecto jovens e adultos com espírito empreendedor e com uma ideia ou projeto de criação de empresa. São as seguintes as actividades em que a AEC apoiará o futuro empreendedor:

- Ajuda no autodiagnóstico à viabilidade económica da ideia de negócio, elaboração plano negócios.

- Disponibilização de consultório de empreendedorismo, para ajuda constante aos futuros empreendedores.

- Prémio empreendedor no valor de 5.000€ ao melhor projeto

A participação nesta sessão é gratuita, estando apenas sujeita à inscrição em https://goo.gl/forms/sm2Ckgnjpygjp4AE2

Concursos TCP | Tese de Mestrado Finalista | Tiago José Rodrigues Lopes

Destination readiness to the needs and demands of Millennials: Centro de Portugal Case Study 

Abstract

Tourism is increasingly basing its activity in creating unique and authentic experiences, where the tourist seeks to fulfil their expectations and create memories that make the whole trip been a wise decision. The research made in this field of study lacks of a structure that explains the experience as a constant interaction between the tourist, the destination and the experience itself.

The present dissertation seeks to address this problem through a study about a generation that seeks more and more experiences in their travels: the millennials. This cohort is considered a market with huge potential and less volatile than its predecessors. Using Centro de Portugal region as a case study, this research aims to know if the territory studied is prepared to meet the millennials´ needs and demands.

In order to respond to the objective set previously, were conducted interviews to 19 different entities, with preponderance in the region´s tourism industry, both public and private sector, and also taking into account the level of their operation (national, regional, local). These entities´ specificities served as a way to confront the organisations´ answers and analyse what the entities think about the millennials´ general characteristics, the Centro de Portugal´s actual touristic performance and the millennials´ behaviour when visiting or planning to visit the region.

The results show that the entities are prepared to meet the needs and demands of millennials, being capable of an agreement on their main characteristics, mostly of sources of information used and the possible advantages brought by a millennial segmentation. However, the entities should improve their capacity for cooperation and exchange of information, mostly related to understand the millennials ´travel motivations but also any other tourist who visit Centro de Portugal.

Keywords: Tourism, Experience, Tourism Experience, Millennials, Centro de Portugal

Concursos TCP | Empreendedorismo Finalista | Projeto SECURIS


Este projeto visa a construção de uma aplicação móvel que contribuirá para a segurança do turista através da utilização de um guia virtual que assinala zonas desaconselháveis, a vibração do telemóvel para alertar o turista que está a entrar numa zona menos segura, tipos de riscos por área, os recursos e as formas de os mitigar, permitindo ainda um botão de “pânico” para chamar as forças de segurança. A plataforma incluirá ainda recomendações várias de educação para segurança. 

Este produto é um contributo inovador a nível tecnológico e de design gráfico, que apresenta de forma apelativa, simples e fácil de utilizar, os dados de segurança de um destino aos turistas bastando para tal um smartphone Android com ligação à internet. Esta plataforma multilingue utilizará tecnologia de georreferenciação, através do recetor GPS do telemóvel.

20 de fevereiro de 2017

Concursos TCP | Anúncio do Júri Final


Na sequência da definição dos finalistas do Concurso de Empreendedorismo Turístico | Prémio José Manuel Alves e dos Concursos de Teses Académicas, informamos que as candidaturas já foram enviadas ao cuidado do Júri Final nomeado pela TCP , que deverá pronunciar-se sobre a valia das candidaturas até final do mês de fevereiro, nos termos definidos nos respectivos regulamentos.

Temos o prazer de anunciar os nomes dos júris que, amavelmente, aceitaram o nosso convite:

Concurso de Empreendedorismo Turístico | Prémio José Manuel Alves

Nuno Fazenda, Turismo de Portugal

Miguel Barbosa, Portugal Ventures

Miguel Mendes, Turismo de Portugal


Concursos de Teses Académicas | Mestrado e Doutoramento

Sérgio Guerreiro, Turismo de Portugal

Carlos Martins, Opium

António Martins, CCDR Centro

16 de fevereiro de 2017

9,74% de crescimento nas dormidas em hotelaria em 2016 no Centro de Portugal | Proveitos sobem 13,65%

De acordo com os últimos dados publicados ontem pelo INE, a hotelaria do Centro de Portugal, em dezembro de 2016, registou um crescimento nas dormidas de 12,78% face a dezembro do ano anterior, um valor que teve um maior impulso por parte das dormidas de turistas estrangeiros (crescimento de 18,78%), associado a um crescimento relevante nos proveitos (17,57%).















Contudo, a informação mais relevante destes dados, ainda preliminares, são os que permitem fazer uma primeira análise das dormidas (apenas) em hotelaria no Centro de Portugal, que apontam para um crescimento de 9,74% nas dormidas (com destaque evidente para o aumento das dormidas de estrangeiros de 12,29%) e um aumento de 13,65% nos proveitos.




15 de fevereiro de 2017

Concursos TCP - Finalistas nomeados


Estão definidos os finalistas do Concurso de Empreendedorismo Turístico | Prémio José Manuel Alves e do 1.º Concurso de Teses Académicas. Os projectos e teses seleccionados serão agora alvo de uma avaliação por parte do Júri Final, de acordo com os critérios definidos nos regulamentos, estimando-se que a decisão final seja comunicada até ao final do mês de Fevereiro.

Finalistas do Prémio José Manuel Alves - Concurso de Empreendedorismo Turístico: 

Finalista: Eco FriendLand 
Promotor: Denis Gachter

Finalista: AQUACONSULT 
Promotor: Luís Martins

Finalista: Invisiwall 
Promotores: Rui Nuno Castro, Ivo Pimentel, João Diogo Ramos, Eduardo Esteves e Simon Punter

Finalista: Turismo para Todos! 
Promotores: Marisa Maganinho e André Taipina

Finalista: Mondego Art Valley 
Promotor: Catharina Sligting

Finalista: Terras de Mondalva®, Turismo de Experiências 
Promotores: Constança Maria Flórido da Costa e Carlos Fonseca

Finalista: Ecomuseu do Arroz 
Promotor: Vítor Espírito Santo

Finalista: Projeto SECURIS 
Promotores: Pedro Matos Costa, Tiago Filipe Domingues Simões, Luís Eduardo Gamito Zenha-Rela

Finalistas do Concurso de Teses Académicas – Mestrado:

Finalista: Tiago José Rodrigues Lopes 
Tese: Destination readiness to the needs and demands of millennials: Centro de Portugal case study

Finalista: André Inácio Teixeira Pedrosa 
Tese: Definição de percursos turísticos cicláveis na Região de Aveiro com recurso aos sistemas de informação geográfica

Finalista: Marta Gil da Silva Araújo 
Tese: Comportamentos do consumidor e a relação com o Turismo Criativo: requalificação das regiões Centro Interior de Portugal

Finalista: Patrícia Alexandra Oliveira Pinto 
Tese: O papel do marketing territorial no desenvolvimento das cidades inteligentes - o caso da cidade de Viseu

Finalista: Marta do Céu Rodrigues Francisco 
Tese: Análise Comparativa entre o Sistema Europeu de Indicadores de Turismo para Destinos Sustentáveis e a Carta Europeia de Turismo Sustentável

Finalistas do Concurso de Teses Académicas – Doutoramento:

Finalista: Maria Gorete Ferreira Dinis 
Tese: Indicadores do comportamento online e tendências da procura turística: as ferramentas Google Trends e Google Analytics

Finalista: George Manuel de Almeida Ramos 
Tese: Inovação Institucional, Turismo e Desenvolvimento em Territórios de Baixa Densidade - O caso do Geopark Naturtejo

Finalista: Dulcineia Basílio Ramos 
Tese: O planeamento em turismo e as redes no desenvolvimento local - O caso da região Oeste

Finalista: Carlos Alberto Figueiredo da Costa 
Tese: Turismo na Serra da Estrela - Impactos, transformações recentes e caminhos para o futuro

Finalista: Joana Inês Silva de Lima 
Tese: Turismo em família: a importância do Turismo para famílias economicamente carenciadas

AddThis